26 de mar de 2007

COMER OVO É MAIS SAUDÁVEL DO QUE SE IMAGINA

Estudos científicos têm demonstrado que o ovo, ao contrário do que se pensa, é muito saudável e não deve faltar na dieta. Rico em proteínas, pobre em gordura saturada e de baixo custo, seu consumo deve ser incentivado.
Seu alto teor de colesterol não é capaz de favorecer problemas cardíacos. Pelo contrário, o ovo contém a gordura monoinsaturada, protetora do coração.
Outro nutriente que merece destaque é a colina, vital para o bom funcionamento cerebral. Acredita-se que a mesma pode ser importante na prevenção de doenças neurodegenerativas como Alzheimmer e Parkinson. A colina também é precursora da acetilcolina, neurotransmissor cerebral importante para a memória.
O ovo apresenta ainda boa quantidade de triptofano, aminoácido precursor da serotonina, substância associada ao “bem estar”.
O alto teor de proteína é benéfico para a saúde, principalmente para os que praticam atividade física e procedimentos estéticos para flacidez.
Seu baixo valor calórico é favorável para os que desejam redução de peso.
Um ovo de galinha tem cerca de 80 kcal.

22 de mar de 2007

O PODER DA VITAMINA E

A vitamina E (alfa-tocoferol), é uma vitamina lipossolúvel, com funções importantes para o organismo humano.
Potente antioxidante, participa na prevenção de uma série de doenças, é importante para o funcionamento muscular, formação de células sexuais, manutenção da integridade de membranas, produção de hemácias e para utilização da vitamina K.
Recentemente foi constatado que uma dieta rica em vitamina E pode proteger contra o mal de Parkinson.
Sua deficiência em humanos é rara, ocorrendo apenas em bebês prematuros e em indivíduos com síndrome de má-absorção.
Estudos têm demonstrado que os benefícios da vitamina E podem ser potencializados se associados a outros antioxidantes, como a vitamina C, por exemplo.
Muito encontrada em comprimidos, os estudos indicam claramente que sua absorção é mais eficaz quando ingerida através do alimento.
É encontrada em maior quantidade no gérmen de trigo, milho, nozes, amendoim, gema de ovo, sementes, óleo de oliva, amêndoas, avelãs, couve, abacate, damasco, carnes magras, laticínios, alface, espinafre, aspargo e outras folhas, óleos vegetais (de milho, girassol, soja e semente de algodão) e derivados (como a margarina).

19 de mar de 2007

DIETA DO MEDITERRÂNEO: UMA APOSTA NA SAÚDE

A dieta Mediterrânea é uma combinação alimentar característica de alguns países da região do mar Mediterrâneo.
Preconiza-se a ingestão de alimentos menos industrializados, pouca carne vermelha e o consumo de vegetais, legumes, tomate, alho, frutas, óleo de oliva e canola, cereais pouco moídos, nozes e sementes, queijo branco, iogurte e também vinho. O consumo de peixes como salmão, sardinha, atum, arenque e cavala é incentivado. Recomenda-se ainda o menor consumo de sal e maior de temperos naturais.
O padrão alimentar dessa região ganhou destaque através de observações sobre a baixa incidência de doenças cardiovasculares, mesmo com a alta ingestão de gorduras
. A partir daí, cresceu o interesse pelo efeito dos diferentes tipos de gordura na saúde humana.
A combinação alimentar da região também propicia maior longevidade e menor risco de desenvolvimento de vários tipos de câncer e doenças crônico-degenerativas.
Para os que desejam redução de peso, o padrão alimentar descrito acima é favorável, por fornecer excelente valor nutricional, independente do valor calórico.

16 de mar de 2007

AÇAÍ É MAIS SAUDÁVEL DO QUE PARECE

O açaí é um fruto de cor violeta escuro, originário das regiões Norte e Nordeste do Brasil. De alto valor nutricional, vem despertado interesse da comunidade científica, principalmente pelo benefício que confere a saúde e prevenção de doenças.
O açaí é rico em fibras, gordura vegetal, proteína, fósforo, cálcio, ferro, potássio, magnésio, vitaminas A e E, antocianinas e tocoferol.
Entre seus benefícios, destacam-se o poder de reposição energética, combate à fadiga e aumento do rendimento em exercícios físicos, auxílio na regulação da função intestinal, auxílio no combate ao envelhecimento, prevenção de certos tipos de câncer, combate aos radicais livres, combate e prevenção da anemia ferropriva se associado à vitamina C, fortalecimento muscular.
O açaí geralmente é consumido sob a forma de cremes, muitas vezes acompanhado de granola ou pó de guaraná.
Embora bastante saudável, sua ingestão deve ser controlada, especialmente por aqueles que desejam reduzir peso, idosos e sedentários. Seu alto valor calórico pode interferir de forma negativa no processo de emagrecimento ou favorecer o ganho de peso.
Outro erro comum é a ingestão do açaí antes do exercício físico. Por sobrecarregar o processo digestório, pode interferir no rendimento. O correto é a ingestão após o treino.

9 de mar de 2007

COMPULSÃO ALIMENTAR NÃO É COISA DE GENTE FRACA

A compulsão alimentar é descrita como a ingestão de enormes quantidades de comida em um curto espaço de tempo, seguida por sentimentos de desconforto físico e de auto-condenação.
Está muitas vezes associada a problemas de stress, depressão, ansiedade e fracasso nas dietas de redução de peso.
Embora não seja regra, estudos encontraram uma grande população de obesos com características de compulsão alimentar, que muitas vezes não recebem tratamento específico e adequado.
A maioria das mulheres obesas que participaram de programas de emagrecimento apresentaram o problema, geralmente associado a oscilações de peso, depressão e distúrbios de auto-imagem.
A avaliação da equipe multidisciplinar é fundamental. A compulsão alimentar é um distúrbio psiquiátrico e deve ser tratada por profissional habilitado. Também é interessante que o paciente inicie um programa de exercícios de acordo com orientação de professor de Ed. Física.
Em relação à dieta, além de atender às recomendações nutricionais, a mesma deve ser adequada ao tratamento em questão.
Sabe-se hoje que determinados alimentos auxiliam na melhora da ansiedade, humor e até da depressão. Além disso, combinações alimentares específicas potencializam a eficácia de medicações, aumentam saciedade e melhoram rendimento no exercício físico.

6 de mar de 2007

COMENTÁRIOS SOBRE O ÁCIDO FÓLICO

O ácido fólico (vitamina B9), tem papel relevante na gravidez, além de ser eficiente no combate à anemia e às doenças cardiovasculares.
Recentemente, pesquisas indicaram que a vitamina pode ajudar ainda a combater o desenvolvimento do Mal de Alzheimer.
Sua deficiência pode levar a diminuição do crescimento, anemia megaloblástica e outros distúrbios sanguíneos, além de glossite e distúrbios no trato gastrintestinal. Já seu excesso, pode interferir na ação de drogas anticonvulsivas.
Mulheres que desejam engravidar ou que estejam no início da gestação devem ter atenção especial com a ingestão da vitamina. O ácido fólico ajuda na formação do sistema nervoso central do feto e também na formação de anticorpos.
Está em doses insignificantes no leite, em especial no leite de cabra. Por tal motivo, é um erro alimentar bebês exclusivamente com o mesmo.
São ricos em ácido fólico os vegetais de folhas verdes (espinafre, couve etc), feijão, vagem, fígado, levedo de cerveja, gérmen de trigo, cenoura e gema de ovo. Sucos de frutas cítricas como o de laranja e limão também contém boas doses.

3 de mar de 2007

SOJA: MUITO ALÉM DA MENOPAUSA

A soja, alimento do grupo das leguminosas, considerada alimento funcional, apresenta uma série de benefícios à saúde e seu consumo deve ser incentivado.
Em média, a soja possui 160 Kcal por cada 100g. Apresenta ainda boa dosagem de cálcio, fósforo, ferro, sódio, potássio, magnésio e cobre, dentre outros compostos.
Embora a sua “fama” venha dos inúmeros benefícios que confere às mulheres na fase da menopausa, os nutrientes da soja merecem destaque também na prevenção de doenças crônico-degenerativas, cardiovasculares, certos tipos de câncer, osteoporose, redução dos níveis de colesterol e LDL.
Estudos sugerem que o consumo de soja pode ter papel importante no controle da pressão arterial e talvez tenha efeito termogênico, colaborando nos tratamentos de redução de peso.
Também é muito bem vinda quando utilizada pelos que praticam atividade física regular e pelas pessoas que realizam procedimentos estéticos.
Em condições de saúde normais, não existe contra-indicação ao consumo da soja e seus derivados.
A soja não deve ficar de molho em água fria, evitando assim a formação de compostos que dão aos grãos sabor desagradável. O ideal é a realização de um “choque térmico”. Deve-se, antes do preparo, acrescentar os grãos de soja em água fervente e cozinhar por cinco minutos. Em seguida, os mesmos devem ser lavados em água fria.