14 de set de 2007

É TEMPO DE COUVE-FLOR

A couve-flor é um excelente alimento e apresenta vários benefícios. Com safra de julho a outubro, é rica em nutrientes que auxiliam no combate a doenças, promovem saúde e melhoram a qualidade de vida.
Uma das vantagens da couve-flor é seu alto teor de fibras, favorecendo a regulação do trânsito intestinal, a sensação de saciedade e todo o processo digestório.
Em sua composição destacam-se ainda boas doses de vitaminas C e B6, cálcio, ferro, potássio e folato.
Nas dietas de redução de peso, a couve-flor é uma boa aliada. Rica em nutrientes, apresenta pouco valor calórico (cerca de 35 calorias para 100 gramas).
No momento da compra, alguns cuidados são fundamentais. Deve-se optar pela couve-flor firme e compacta, com folhas verdes e flores bem brancas, devendo a mesma ser consumida no máximo em 3 dias. O armazenamento deve ser em geladeira, sem as folhas e sem lavar.
Para o preparo, o vegetal deve ser cozido no vapor ou fervido rapidamente visando evitar a perda de nutrientes.

2 de set de 2007

SOBRE A FIBRA DO MARACUJÁ

A farinha da casca do maracujá ganhou destaque entre os estudiosos pela sua possível influência sobre a redução das taxas de glicose sanguínea.
O avanço nos estudos comprovou tais benefícios e ainda mostrou que a mesma é capaz de reduzir significativamente a absorção da gordura dos alimentos, se transformando em uma aliada para as dietas de redução de peso. A farinha ainda colabora com a regulação da função intestinal, controle do colesterol sanguíneo e favorece a sensação de saciedade.
A grande responsável por tais benefícios é uma fibra solúvel chamada pectina, presente em altas quantidades na parte branca da casca da fruta. A pectina quando ingerida é solúvel em líquidos e forma um gel viscoso que retarda o esvaziamento gástrico e reduz a absorção intestinal de carboidratos e também das gorduras, proporcionando os benefícios citados acima.
A farinha da casca do maracujá contém ainda fibras insolúveis, que favorecem o trânsito intestinal.
Vale ressaltar que a pectina é um tipo de fibra também presente em grande quantidade em outros tipos de alimentos e que o ideal é o consumo variado dos mesmos. São eles: frutas (com casca principalmente), vegetais, aveia, cevada, leguminosas, nozes e sementes.
Outra dica importante é em relação às restrições. É conhecido que as fibras contêm fitatos, componentes antinutricionais que quando em excesso prejudicam a biodisponibilidade de nutrientes. Seu consumo deve ser portanto de forma moderada e se possível de acordo com orientação.
-
-
Texto sugerido por Carmem Rogato